Mapa do Site

SELEÇÃO BRASILEIRA

 

História no Tempo

 

Notícias

 

Todos os Jogos

 

Brasil nas Copas

 

Conquistas

 

Estatísticas

 

Curiosidades

 

Ídolos e Craques

 

Técnicos

 

Jogos para Lembrar

 

Jogos para Esquecer

 

Os Vexames

 

SELEÇÃO BRASILEIRA

 

Copa do Mundo do México 1970

Brasil Tricampeão Mundial

 

Em 1970, no México, o grande sonho do torcedor brasileiro tornou-se finalmente realidade: o Brasil sagrou-se tricampeão mundial e ficou de posse definitiva da Taça Jules Rimet. Dos três títulos mundiais, este pareceu, para o torcedor, o mais fácil de todos, pois foi conquistado com seis vitórias nos seis jogos que a equipe disputou, desde a estréia contra a Tchecoslováquia.

 

A seleção brasileira antes da vitória de 3 a 2 sobre a Romênia, no Estádio Jalisco, em Guadalajara, último jogo das oitavas-de-final. Em pé, da esquerda para a direita, Carlos Alberto, Brito, Piazza, Félix, Clodoaldo, Everaldo e o preparador Admildo Chirol; agachados, Jairzinho, Rivelino, Tostão, Pelé e Paulo Cesar Caju.


A Seleção Brasileira na fase de preparativos vinha sendo dirigida por João Saldanha, um dos maiores cronistas esportivos do Brasil em todos os tempos e que antes já exercera o cargo de treinador em seu clube do coração, o Botafogo. Mas Saldanha, com um temperamento explosivo, teve uma crise de relacionamento com os dirigentes e deixou o cargo. Foi substituído por Zagallo, que dirigia o Botafogo e vinha conquistando títulos.


O novo treinador assumiu o cargo e fez profundas mudanças na equipe, principalmente no aspecto tático. Com Saldanha o time utilizava quatro atacantes, enquanto com Zagallo o sistema passou a ser o 4-3-3. Além disso, o técnico deslocou Wilson Piazza para a zaga e colocou Clodoaldo, Gerson e Rivelino no meio-campo, tirando o ponta esquerda Edu, do Santos. Também efetivou Tostão como centroavante ao lado de Pelé, embora muitos afirmassem que os estilos dos dois fossem incompatíveis.

 

Caminho aberto - Pelé corre para comemorar o primeiro gol do Brasil na decisão contra a Itália, no Estádio Azteca, na Cidade do México. O goleiro Albertosi, estendido no chão, não conseguiu defender a cabeçada do rei.


Apesar da alta qualidade da equipe, a Seleção Brasileira viajou criticada por uma parte da imprensa brasileira. Pelé foi chamado de "míope", porque inventaram que ele não enxergava bem, e Tostão de "cego", porque vivia às voltas com cirurgias para corrigir séria lesão de retina no olho esquerdo. Mas, quando nem todos esperavam, os brasileiros deram verdadeiro show e conquistaram o tricampeonato mundial no México, com vitórias sobre a Tchecoslováquia (4 a 1), Inglaterra (1 a 0), Romênia (3 a 2), Peru (4 a 2), Uruguai (3 a 1) e Itália (4 a 1).

 

Tostão passa pelo seu marcador, na vitória de 4 a 2 do Brasil sobre o Peru, nas quartas-de-final, no Estádio Jalisco. Ele fez dois gols neste jogo. A goleada colocou o Brasil na semifinal da Copa.


Sob o comando de Zagalo, a Seleção Brasileira contou com Félix; Carlos Alberto, Brito, Piazza e Everaldo; Clodoaldo, Gérson e Rivelino; Jairzinho, Tostão e Pelé, como seu time-base.

O Furacão chora Jairzinho chora ao abraçar Dario após os 4 a 1 sobre a Itália. Jair foi o artilheiro do Brasil na Copa, com sete gols, e ganhou o apelido de Furacão por suas arrancadas em direção ao gol adversário.

 

Última vez - O capitão Carlos Alberto ergue a taça Jules Rimet, repetindo o gesto de Bellini, em 58, e Mauro, em 62. O Brasil conquistava no México, a posse definitiva do troféu.

 

Tricampeões em carro aberto - O técnico Zagallo e o capitão Carlos Alberto desfilam com a taça Jules Rimet nas mãos, em carro aberto, em Brasília

 

A Delegação

 

Chefe: Major-Brigadeiro: Jeronymo Bastos

Secretário: Major Roberto Câmara Lima Ipiranga dos Guaranys

Assistente Administrativo: Professor Walter José dos Santos

Delegados ao Congresso da FIFA e CSAF: Dr. Sylvio Corrêa Pacheco, Abílio de Almeida, Dr. José Ermírio de Moraes Filho

Tesoureiro: Sebastião Martinez Alonso

Jornalista: Achiles Chirol

 

Comissão Técnica

 

Presidente: Dr. Antônio do Passo

Supervisor: Capitão Cláudio Coutinho

Técnico: Mario Jorge Lobo Zagallo

Preparadores Físicos: Profs. Admildo Chirol e Carlos Alberto Parreira

Administrador: José de Almeida Filho

Assessor da Presidência da Comissão Técnica: Tarso Heródia de Sá

Médicos: Drs. Lídio Toledo e Mauro Pompeu

Massagista: Mário Américo

Roupeiro: Abílio Joss da Silva

Cozinheiros: Edgard Barbosa e Mário Vieira da Rocha

 

Jogadores

 

Goleiros:

FÉLIX Mielli Venerando - Fluminense-RJ

Emerson LEÃO - Palmeiras-SP

Eduardo Roberto Stinghen (ADO) - Corinthians-SP

 

Zagueiros:

CARLOS ALBERTO Torres - Santos-SP
Hércules BRITO Ruas - Vasco da Gama-RJ
WÍLSON da Silva PIAZZA - Cruzeiro-MG
EVERALDO Marques da Silva - Grêmio-RS

José Maria Rodrigues Alves (ZÉ MARIA) - Portuguesa de Desp.-SP

José Guilherme BALDOCCHI - Palmeiras-SP

José de Anchieta FONTANA - Cruzeiro-MG

MARCO ANTÔNIO Feliciano - Fluminense/RJ

 

Meio-campo:

CLODOALDO Tavares Santana - Santos-SP
GÉRSON de Oliveira Nunes - Botafogo-RJ
Roberto RIVELLINO - Corinthians-SP

 

Atacantes:

Jair Ventura Filho (JAIRZINHO) - Botafogo-RJ
Eduardo Gonçalves de Andrade (TOSTÃO) - Cruzeiro-MG
Édson Arantes do Nascimento (PELÉ) - Santos-SP
JOEL Camargo - Santos-SP
PAULO CÉSAR Lima - Botafogo-RJ
ROBERTO Lopes Miranda - Botafogo-RJ
Jonas Eduardo Américo (EDU) - Santos-SP
DARIO José dos Santos - Atlético Mineiro-MG

 

Os Jogos

 

Oitavas-de-Final

3/6/1970
Brasil 4 x 1 Tchecoslováquia
 

7/6/1970
Brasil 1 x 0 Inglaterra
 

10/6/1970
Brasil 3 x 2 Romênia
 

 

Quartas-de-Final

14/6/1970
Brasil 4 x 2 Peru
 

 

Semifinais

17/6/1970
Brasil 3 x 1 Uruguai

 

 

Final

21/6/1970
Brasil 4 x 1 Itália 
 

 

* Jairzinho foi o artilheiro do Brasil com 7 gols

 

 

© 2000 FUTEBOL Cia. Todos os direitos reservados.