Mapa do Site

SELEÇÃO BRASILEIRA

 

História no Tempo

 

Notícias

 

Todos os Jogos

 

Brasil nas Copas

 

Conquistas

 

Estatísticas

 

Curiosidades

 

Ídolos e Craques

 

Técnicos

 

Jogos para Lembrar

 

Jogos para Esquecer

 

Os Vexames

 

 

 

SELEÇÃO BRASILEIRA

 

Copa do Mundo de 1930 - Uruguai

Brasil 6º colocado

 

A briga entre cariocas e paulistas é mais antiga do que se pensa e foi a principal responsável pelo fraco sexto lugar obtido pela Seleção Brasileira na Copa de 30. O grupo de atletas que foi ao Uruguai era formado quase que exclusivamente por jogadores do Rio de Janeiro, em virtude de um desentendimento entre a CBD (Confederação Brasileira de Desportos), antiga CBF( Confederação Brasileira de Futebol) e a Apea(Associação Paulista de Esportes Atléticos).
O motivo principal da briga foi o fato de a CBD não ter colocado entre os membros da comissão técnica um integrante Paulista. A Apea apresentou como desculpa para não liberação de seus jogadores a convocação em cima da hora, não havendo tempo hábil para "chefes de família deixarem tudo organizado e partirem para ficar tanto tempo afastados de casa". Com isso, ficaram de fora estrelas como o atacante Friedenreich.
Araken Patuska foi o único paulista que esteve no Mundial. Depois de uma briga com Santos, seu time na época, Araken tentou uma transferência para o São Paulo. Sua equipe não o liberou e, na época da Copa, ficou sem time. Por isso, pôde participar da competição.
Na estréia o Brasil foi surpreendido pela Iugoslávia e derrotado por 2 a 1. Uma multidão que acompanhava o jogo em frente ao prédio do jornal "A gazeta", em São Paulo, comemorou com se fosse uma vitória e promoveu um enterro simbólico da CBD, atirando um caixão de papelão do Viaduto do Chá.

Precariedade - Jogadores do Brasil atravessam passagem improvisada de madeira para entrar no gramado na primeira partida da seleção brasileira em uma Copa. Na estréia, derrota de 2 a 1 para a Iugoslávia - gol de Preguinho para o Brasil. No segundo jogo, a goleada de 4 a 0 sobre a Bolívia, no Estádio Centenário, em Montevidéu, não foi suficiente para levar o time à semifinal. Preguinho (2) e Moderato (2) marcaram.

 

Na segunda Partida, a primeira goleada do Brasil em uma Copa: 4x0 na Bolívia. Mas foi inútil, já que os iugoslávos haviam vencido os nossos vizinhos Sul-Americanos, três dias antes, também por 4x0. O Brasil conseguiu apenas evitar o vexame de terminar em último lugar na sua chave. O mais lamentável é que havia reais motivos para esperar uma boa campanha do Brasil na Copa. Um m~es depois do Mundial, a seleção enfrentou no Rio três equipes que voltavam de navio de Montevidéu: França, Iugoslávia e EUA.
Com sua força máxima, o Brasil derrotou a França por 3x2 (dois gols de Heitor e um Friedenreich, ambos paulistas); a Iugoslávia, por 4x1; e os EUA, por 4x0. Em 1931, com dois de Nilo, o Brasil bateu os uruguaios por 2x0 no Rio.

 

A Delegação

 

Chefe: Dr. Afrânio Antônio da Costa

Técnico: Dr. Píndaro de Carvalho Rodrigues

Árbitro: Dr. Gilberto de Almeida Rêgo

Delegado: Dr. Egas Mendonça

 

Jogadores

 

Goleiros:

JOEL de Oliveira Monteiro - América-RJ
Oswaldo de Barros VELLOSO - Fluminense

 

Zagueiros:

Alfredo BRILHANTE da Costa - Vasco da Gama

José Luiz de Oliveira (ZE LUIZ) - São Cristóvão-RJ

Luís Gervazoni (ITÁLIA) - Vasco da Gama

 

Médios:

HERMÓGENES Fonseca - América-RJ

Estanislau de Figueiredo PAMPLONA - Botafogo

Humberto de Araújo BENEVENUTTO - Flamengo

IVAN MARIZ - Fluminense

Agostinho FORTES Filho - Fluminense

 

Centromédio:

FAUSTO dos Santos - Vasco da Gama

OSCARINO Costa Silva - Americano-RJ

FERNANDO Giudicelli - Fluminense

BENEDICTO Meneses Dantas - Botafogo

OSCARINO Costa Silva - Americano-RJ

 

Atacantes:

Polycarpo Ribeiro de Oliveira (POLY) - Americano-RJ

NILO Murtinho Braga - Botafogo

Alfredo de Almeida Rego (DOCA) - São Cristóvão-RJ

Manoel de Aguiar Fagundes (MANOELZINHO) - Goitacaz-RJ

Carlos Dobbert de CARVALHO LEITE - Botafogo

Moacyr de Siqueira Queiroz (RUSSINHO) - Vasco da Gama

João Coelho Netto (PREGUINHO) - Fluminense

MODERATO Wisintainer - Vasco da Gama

TEÓPHILO Bittencourt Pereira - São Cristóvão-RJ

ARAKEN Patuska - CBD

 

 

Os jogos

 

Jogo Nº 52 da Seleção

14/7/1930
Brasil 1 x 2 Iugoslávia
Local: Central Parque Pereira
Cidade: Montevidéu (Uruguai)
Árbitro: A. Tejada (Uruguai)
Brasil: Joel, Brilhante e Itália; Hermógenes, Fausto e Fernando; Poly, Nilo, Araken, Preguinho e Teóphilo.

Técnico: Píndaro

Gol: Preguinho

 

 

Jogo Nº 53 da Seleção

22/7/1930
Brasil 4 x 0 Bolívia
Local: Estádio Centenário
Cidade: Montevidéu (Uruguai)
Árbitro: J. Badway (França)
Brasil: Velloso, Zé Luiz, e Itália; Hermógenes, Fausto e Fernando; Benedicto, Russinho, Carvalho Leite, Preguinho e Moderato.

Técnico: Píndaro
Gols: Preguinho (2) e Moderato (2).

 

Artilheiros do Brasil: Preguinho (2) e Moderato (2)

 

 

© 2000 FUTEBOL Cia. Todos os direitos reservados.